Quantos artistas entoam baladas pras suas amadas
Com grandes orquestras
Como os invejo
Como os admiro
Eu, que te vejo e nem quase suspiro
Quantos poetas românticos, prosas

Exaltam suas musas com todas as letras
Eu te murmuro

Eu te suspiro
Eu, que soletro teu nome no escuro
Me escutas, Cecília?
Mas eu te chamava em silêncio
Na tua presença palavras são brutas

Pode ser que, entreabertos
Meus lábios de leve tremessem por ti
Mas nem as sutis melodias
Merecem, Cecília, teu nome espalhar por aí
Como tantos poetas
Tantos cantores
Tantas Cecílias com mil refletores
Eu, que não digo, mas ardo de desejo
Te olho

Te guardo
Te sigo
Te vejo dormir
Me escutas, Cecília?
Mas eu te chamava em silêncio
Na tua presença palavras são brutas
Pode ser que, entreabertos
Meus lábios de leve tremessem por ti
Mas nem as sutis melodias
Merecem, Cecília, teu nome espalhar por aí
Como tantos poetas
Tantos cantores
Tantas Cecílias com mil refletores
Eu, que não digo, mas ardo de desejo
Te olho Te guardo Te sigo Te vejo
Te olho Te guardo Te sigo Te vejo dormir


(Luiz Claudio Ramos/ Chico Buarque)

Sem comentários:

Publicar um comentário